Ativar Acessibilidade Ativar Acessibilidade

Mês de conscientização do mieloma múltiplo
Avanços na medicina contribuem para a melhora da qualidade de vida do paciente

15 de março de 2021
  • Este é o segundo câncer de sangue mais comum1, acomete a medula óssea e é mais frequente em idosos2

São Paulo, 15 de março de 2021 – Março é o mês de conscientização sobre o mieloma múltiplo, data instituída pela International Myeloma Foundation (IMF) para promover a conscientização da doença, alertando sobre seus sinais, visando o diagnóstico precoce.  Sua gravidade está ligada ao seu padrão de crescimento e sintomas, como dores ósseas e cansaço3, que costumam ser confundidos com outras patologias, retardando o diagnóstico e prejudicando o sucesso do tratamento4

“O mieloma múltiplo produz uma proteína no organismo, chamada de proteína monoclonal, e o exame eletroforese de proteínas é capaz de medir esse elemento no sangue na maioria dos casos”, afirma a Dra. Flávia Xavier, hematologista do Hospital Sírio-Libanês e chefe do serviço de Hematologia do HUB (Hospital Universitário de Brasília), vinculado à Universidade de Brasília. “Os sinais mais precoces, em geral, são anemia – que pode ser identificada por meio do hemograma –, alteração de função renal – evidenciada em exames como ureia e creatinina –, além das dores ósseas, principalmente na coluna e bacia (ou quadril), complementa a especialista.

As opções de tratamentos do mieloma múltiplo dependem do estágio da doença e incluem medicamentos de suporte, imunoterapia, quimioterapia, corticosteroides, radioterapia ou transplante de medula óssea5. Além disso, a Dra. Flávia afirma que o acompanhamento médico multidisciplinar pode promover uma melhor resposta ao tratamento em qualquer estágio da doença.

“Ainda que o paciente faça o acompanhamento médico e tenha sua logística de tratamento bem estabelecida, a presença de outros profissionais da saúde – farmacêutico, psicólogo, nutricionista, ortopedista e fisioterapeuta, entre outros – promove uma melhora na qualidade de vida, adesão ao tratamento e nas condições gerais de saúde do paciente”, avalia a especialista. 

Cada profissional atua no monitoramento de necessidades e questões específicas.  “O nutricionista, por exemplo, monitora o ganho de peso do paciente, normalmente causado pelo corticoide presente na combinação de terapias necessária para tratar a doença. A alteração da massa corpórea gera uma sobrecarrega que pode provocar dores e desconforto”, explica Dr. Flávia.

“Apesar de a doença não ter cura, o avanço da medicina traz uma nova perspectiva para os pacientes, que conseguem conviver com a doença e desenvolver suas atividades diárias. Tenho pacientes com mais de 10 anos de diagnóstico e que vivem bem”, conclui a médica. 


Sobre a Takeda Pharmaceutical Company Limited

A Takeda Pharmaceutical Company Limited (TSE:4502) (NYSE:TAK) é uma empresa global baseada em valores e orientada por Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). Líder biofarmacêutica, a empresa tem sede no Japão e seu compromisso é trazer uma Saúde Melhor e um Futuro Mais Brilhante para pacientes do mundo inteiro, traduzindo ciência em medicamentos altamente inovadores. A Takeda concentra seus esforços de P&D em quatro áreas terapêuticas: Oncologia, Gastroenterologia, Neurociências e Doenças Raras. Também fazemos investimentos de P&D específicos em Terapias Derivadas de Plasma e Vacinas. Nosso objetivo é desenvolver medicamentos altamente inovadores que fazem a diferença na vida das pessoas, avançando na fronteira de novas opções de tratamento: aproveitamos nosso sistema colaborativo de Pesquisa e Desenvolvimento para criar um pipeline robusto e diversificado para diferentes modalidades. Nossos funcionários também abraçam o compromisso de melhorar a qualidade de vida dos pacientes, trabalhando com nossos parceiros na área da saúde em aproximadamente 80 países e regiões.
Para outras informações, visite https://www.takeda.com.


Ketchum Estratégia

Claudia Alves
E-mail: claudia.alves@ketchum.com.br

Proibida a reprodução por qualquer meio, tais como: gravação, captura de tela ou foto. Proibido encaminhamento por qualquer meio sem autorização expressa da Takeda.

 

Referências

1. International Myeloma Foundation Latin America [Internet], Mieloma Múltiplo: segundo tipo de câncer sanguíneo mais frequente no mundo. Disponível em: https://www.myeloma.org.br/conteudo_detalhes.php?conteudo=eventos&id_conteudo=752. Acesso em: 08 de fevereiro de 2021
2. Instituto Oncoguia [Internet], Mieloma múltiplo, câncer raro, que atinge idosos. Disponível em: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/mieloma-multiplo-cancer-raro-que-atinge-idosos/10683/42/. Acesso em: 08 de fevereiro de 2021
3. Instituto Oncoguia [Internet] – Disponível em: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/entrevista-presidente- da-abrale-discute-cenario-do-mieloma-multiplo-no-brasil/4138/8/. Acesso em: 18 de fevereiro de 2021
4. Instituto Oncoguia [Internet] 2017 – Disponível em http://www.oncoguia.org.br/conteudo/mieloma-multiplo-cancer-raro-que-atinge-idosos/10683/42/. Acesso em 18 de fevereiro de 2021.
5. Portal Abrale [Internet], Tratamento: Mieloma Múltiplo. Disponível em https://www.abrale.org.br/doencas/mieloma-multiplo/tratamento/. Acesso em 17 de fevereiro de 2021

 

C-ANPROM/BR/NINL/0039 Mar21
Material destinado ao público geral