Ativar Acessibilidade Ativar Acessibilidade

Pesquisa IBOPE aponta que preocupação com a COVID-19 causa dor de cabeça em 31% dos brasileiros¹,²

19 de maio de 2020

São Paulo, 19 de maio de 2020 – De acordo com a pesquisa “A Relação dos Brasileiros com a Dor de Cabeça – 2ª Edição” feita pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (IBOPE) e encomendada pela biofarmacêutica Takeda, 31% da população no Brasil afirma que a pandemia de COVID-19 é um gatilho para desencadear a dor de cabeça2.

“Medo da pandemia, preocupações financeiras e mudança repentina dos hábitos de vida podem ser gatilhos para crises de dor de cabeça. Além disso, o isolamento social muda muito a vida das pessoas. Passamos a conviver 24h com a família, por vezes em um espaço pequeno, o que pode gerar estresse e conflitos, consequentemente a cefaleia”, diz a Dra. Evelyn Esteves Dias, neurologista membro da Academia Brasileira de Neurologia e da Sociedade Brasileira de Cefaleia (SBC).

O levantamento feito com internautas de todo o Brasil em abril deste ano teve como propósito traçar um comparativo do mesmo estudo realizado em 2016 para mostrar o que mudou na relação do brasileiro com a dor de cabeça.

Numa pergunta de múltipla escolha, em 2016, o estresse foi apontado por 68% dos entrevistados como um possível gatilho da dor de cabeça contra 59% este ano. A privação de sono com 60% há quatro anos e 52% atualmente, enquanto os problemas pessoais 43% na primeira pesquisa e por 32% agora.

A queda de percentual dos gatilhos mencionados anteriormente foi motivada pelo surgimento de novos, entre eles a pandemia do novo coronavírus e o aumento no uso do celular. Com a quarentena, notou-se que as pessoas passaram a ficar mais tempo conectadas, seja usando aplicativos gerais, redes sociais ou trabalhando. Os dados apontam que 97% dos entrevistados afirmam que passam no mínimo 2 horas do dia no celular, pessoas jovens de 18 a 35 anos (26%) e mulheres (27%) tendem a ficar 8 horas ou mais usando o aparelho.

 

SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. NEOSALDINA® É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA.

NEOSALDINA® Drágeas dipirona, mucato de isometepteno, cafeína. NEOSALDINA® Solução oral – Gotas dipirona, cloridrato de isometepteno, cafeína. Indicações: como analgésico e antiespasmódico, indicado para o tratamento de diversos tipos de dor de cabeça ou cólicas. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.


Sobre a Takeda Pharmaceutical Company Limited

A Takeda Pharmaceutical Company Limited (TSE:4502) (NYSE:TAK)  é uma empresa global baseada em valores e orientada por Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). Líder biofarmacêutica, a empresa tem sede no Japão e seu compromisso é trazer uma Saúde Melhor e um Futuro Mais Brilhante para pacientes do mundo inteiro, traduzindo ciência em medicamentos altamente inovadores. A Takeda concentra seus esforços de P&D em quatro áreas terapêuticas: Oncologia, Gastroenterologia, Neurociências e Doenças Raras. Também fazemos investimentos de P&D específicos em Terapias Derivadas de Plasma e Vacinas. Nosso objetivo é desenvolver medicamentos altamente inovadores que fazem a diferença na vida das pessoas, avançando na fronteira de novas opções de tratamento: aproveitamos nosso sistema colaborativo de Pesquisa e Desenvolvimento para criar um pipeline robusto e diversificado para diferentes modalidades. Nossos funcionários também abraçam o compromisso de melhorar a qualidade de vida dos pacientes, trabalhando com nossos parceiros na área da saúde em aproximadamente 80 países e regiões.

Para outras informações, visite https://www.takeda.com

 
Referências bibliográficas

1. IBOPE Inteligência. Dordecabeça. São Paulo: IBOPE Inteligência; 2016.
2. IBOPE Inteligência. A relação dos brasileiros com a dordecabeça. São Paulo: IBOPE Inteligência; 2020.

 

BR/NEO/2005/0177 - Maio de 2020
Material destinado para o público geral e imprensa
Em caso de dúvidas ligue gratuitamente - SAC: 0800 771 0345